Logotipo Gulin

  • TRAVAQUEDA RETRÁTIL COM FITA SINTÉTICA

 

MODELO R-2  
 
Modelo de funcionamento retrátil, com 2 m de fita sintética de 45 mm de largura e absorvedor de energia.
 
Possui olhal de ancoragem dotado de sistema destorcedor e caixa de alojamento protetora da máquina retrátil em nylon que protege o aparelho de eventuais choques mecânicos.
 
Peso: 1kg.
 
Fabricado conforme normas ABNT NBR 14628 e 14629: 2010;
TRÊS APLICAÇÕES FUNDAMENTAIS DO TRAVAQUEDA RETRÁTIL R-2

1 - PROTEÇÃO LOCALIZADA

O travaqueda retrátil R-2 é indicado para proteção contra queda em trabalhos com pouco deslocamento em relação a um ponto fixo de ancoragem do aparelho, conforme figura ao lado.
    

2- MOVIMENTAÇÃO EM BEIRAIS

É também muito utilizado para movimentação em beirais de fachadas e pontes rolantes quando instalado em ponto móvel de ancoragem (Trole) de Linha de VIda Horizontal, que pode ser Rígida (Trilho Inox) ou Flexível (Linha Totalflex Gulin).

3 - ANDAIMES SUSPENSOS

O travaqueda retrátil R-2 quando utilizado em conjunto com o Travacabo Gulin modelo TC-1 forma o Sistema 2G Gulin para Linha de Vida Vertical nos trabalhos em andaimes suspensos. Para amplas informações sobre este sistema de trabalho veja "TRAVAQUEDA SISTEMA 2G PARA ANDAIME SUSPENSO" em produtos ou assista o vídeo "TRABALHO EM ANDAIME SUSPENSO".
    
 

 

USO DO TRAVAQUEDA RETRÁTIL MODELO R-2 

 

1. Só deve ser utilizado com cinturões de segurança Gulin 102, 102-R ou 102-E.
 
2. Este travaqueda deve ser fixado sempre acima da cabeça do usuário em um ponto de ancoragem com resistência igual ou superior a 1.500 kgf.
 
3. A carga máxima de trabalho dos travaquedas retráteis é de 100 kg.
 
4. A fita retrátil deve ser conectada à argola dorsal (costas) ou alças frontas (peito) do cinturão paraquedista e durante o uso é necessário que fique esticada pela ação da mola interna retrátil.
 
5. A fita retrátil de nylon deve estar perfeita, sem cortes, furos, rupturas, partes queimadas, desfiamentos, mesmo que parciais. Os pontos de costura devem estar perfeitos, sem desfiamentos ou descosturados.
 
6. Antes de conectar o travaqueda ao cinturão, faça o teste inicial de bom funcionamento: só use o aparelho após constatar:
 
a) Imediato travamento da fita retrátil após ser puxada com força para fora.
 
b) Retorno integral da fita retrátil após deixar de ser puxada.
 
7. O travaqueda modelo R-2 deve ser inutilizado após retrenção de uma queda ou quando não atender aos itens "5" e "6".
 
 
 
 
 
 

 

Para visualizar este vídeo é necessário ter o javascript ativado, considere atualizar seu navegador para um que possau suporte a videos em HTML 5

Alameda Glete, 788 − São Paulo − SP (Próximo ao metrô − estação Santa Cecília) − Fone: 11 3335−5050